12 de Junho 2018 – Batalha Musical marca a data contra o trabalho infantil

No dia 12 de Junho de 2018 ocorreu a batalha musical contra o trabalho infantil, reunindo alunos de escolas estaduais e também do Senac (Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial), do Instituto Formar e do Ciee (Centro de Integração Empresa-Escola) no coreto da Praça José Bonifácio, as 8h30 para marcar a data do dia Mundial e Nacional contra o Trabalho Infantil.

A batalha – que integrou a programação elaborada pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social (Semdes) e pela Comissão Municipal de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil de Piracicaba (Competi) para mobilização, sensibilização e capacitação para a temática trabalho infantil –  reuniu cerca de 400 adolescentes, que assistiram os batalhadores e também batalharam se desafiando com rimas que falam do quanto trabalho infantil pode condenar o futuro de crianças e adolescentes.

O 12 de junho – O dia Mundial contra o Trabalho Infantil foi instituído por resolução da OIT (Organização Internacional do Trabalho), em 2002. No Brasil, a data foi instituída em 2007, pela lei 11.542.

O tema deste ano Piores Formas: Não proteger a infância é condenar o futuro!” começa com piores formas porque neste ano o Brasil comemora os 10 anos da lista TIP, a Lista das Piores Formas de Trabalho Infantil, promulgada por meio do Decreto 6.481, de 12 de junho de 2008, que se tornou referência para o combate ao Trabalho Infantil no país.

A lista, conforme material informativo da AgendaPETI, do Ministério do Desenvolvimento Social, “enumera 93 atividades que passam a ser enquadradas na lista de piores formas de trabalho infantil por causarem danos à saúde física, mental e moral de crianças e adolescentes. Incluem-se, as formas ilegais de trabalho infantil, como o aliciamento para o tráfico de drogas, a exploração sexual, o uso de crianças e adolescentes para produção de material pornográfico, venda de crianças e adolescentes para diversos fins, etc. A divulgação da Lista lançou luz sobre formas de trabalho infantil que não eram reconhecidas ou ainda naturalizadas, como o trabalho doméstico, por exemplo. Além de descrever as piores formas, o decreto mostra os riscos associados e os impactos sobre a saúde das vítimas, que vão desde o cansaço físico até o risco de morte.”

 

Símbolo – O cata-vento de cinco pontas coloridas (azul, vermelha, verde, amarela e laranja), como símbolo, foi escolhido em 2004 durante a caravana Nacional pela Erradicação do Trabalho Infantil. O cata-vento significa movimento, sinergia, atividade na luta contra o trabalho infantil com uma atitude positiva de ação, de proposta, de solução.

 

Centro de Comunicação Social

Sabrina Rodrigues Bologna: 31076

 

convite-competi-semdes

Leave a Reply